Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

27/06/2019 às 14h14

Assembleia vai transmitir as sessões na linguagem dos sinais

Por Diretoria de Comunicação

A partir do segundo semestre as sessões da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) serão transmitidas também na Língua Brasileira de Sinais (Libras) usada pelos portadores de deficiência auditiva. Um convênio com a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), que está sendo tratado pela Mesa Executiva da Alep, vai permitir que interpretes dessa linguagem traduzam o conteúdo das sessões pela TV Assembleia, para que os debates do Parlamento sejam acessíveis à comunidade surda. Uma reunião entre o presidente da Alep, deputado Ademar Traiano (PSDB), o primeiro secretário, Luiz Claudio Romanelli (PSB), a ouvidora da Alep, Claudia Pereira, com a representante da Feneis, psicóloga Celma Gomes, que é surda, e a intérprete de Libras, Lígia Klein, deu início à tratativa.

“Essa é mais uma iniciativa da Assembleia para abrir suas portas de praticar a inclusão e permitir o acesso aos debates da Casa a todos os cidadãos. Com esse convênio estaremos permitindo o acesso aos trabalhos do Parlamento a um grande número de pessoas”, destacou o presidente.

Traiano destacou o papel da ex-deputada Claudia Pereira nessa iniciativa. “Ela sempre foi, desde os tempos de deputada, a grande defensora dos interesses dessa comunidade”. Celma Gomes falou, através da interprete, sobre a importância da ação pioneira da Assembleia: “No Paraná ainda estava faltando um maior apoio à acessibilidade e apoio político às ações dessa socialização”. Lígia Klein e Celma Gomes contaram que a atuação da primeira-dama Michelle Bolsonaro, uma militante da causa, tem ajudado o movimento. Michelle deverá estar presente quando as sessões da Assembleia começarem a ser transmitidas em Libras, em agosto.

Também participaram da reunião os diretores: Dylliardi Alessi, diretor Legislativo; Ivilim Koelbl, secretária-geral da Presidência; Vinicius Augusto Moura Ribeiro da Silva, diretor de Apoio Técnico; e o procurador-geral Luiz Fernando Feltran.