Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

13/08/2019 às 15h36 > atualizado em 13/08/2019 às 16h53

Aulão do Enem representa democratização do ensino e oportunidade de educação

Por Thiago Alonso

A sala de aula já recebeu diferentes configurações ao longo da história, da ágora grega aos atuais cursos transmitidos via streaming. Nesta terça-feira (13), foi a vez de novamente o Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) assumir a função para mais um “aulão” preparativo para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Na visão de alguns dos mais de 700 alunos participantes, as aulas na Casa do Povo permitem a democratização do ensino e uma oportunidade extra de ampliar o conhecimento.

É o que diz a estudante Aline Mello, de 17 anos, do Colégio da Polícia Militar do Paraná (CPM). Ela quer prestar vestibular para o curso de Designer e elogiou a iniciativa da Assembleia. “É muito legal, principalmente por estas aulas serem de graça. Estamos vivendo um momento difícil da educação no Brasil, então qualquer atitude que democratize a educação é incrível”, diz ela. Na opinião de Aline, a oportunidade é essencial para alunos de colégios públicos reforçarem a preparação.

Foi este pensamento que trouxe Guilherme Dias, de 28 anos, do cursinho Apogeu, ao “aulão” do Enem. Ele quer ingressar novamente no curso de engenharia civil na Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UFTPR), faculdade que cursou por dois anos e meio e teve de abandonar. Viu na aula da Assembleia uma forma de revisar toda a matéria para o Enem. “Achei bacana esta pegada interdisciplinar, agrupando as matérias. É algo que não vemos no cursinho. Pudemos perceber como uma mesma questão envolve várias áreas do conhecimento”, avalia.  

Para o chefe da divisão de ensino e subcomandante do Colégio Militar do Paraná, George Dal’Apria, o “aulão” representa mais uma oportunidade de mais conteúdo aos alunos. “Já participamos nos anos anteriores e pudemos ver como acrescenta conhecimento para a prova do Enem”, revela. Ele conta que os alunos participantes nesta manhã tiveram aula na noite anterior. “São todos voluntários que reconheceram na aula de hoje uma forma de ampliar o alcance. Nós estamos formando profissionais, mas também indivíduos responsáveis preocupados com a cidadania”.

Experiências – Para a professora de Química da Uninter Luciane de Godoi, 2019 representou a estreia no “aulão” da Assembleia. Ela participou falando sobre isomeria e produtos químicos perigosos. “Estava um pouco nervosa, mas esta é a primeira participação de muitas. Gosto da energia dos alunos. Nossa ideia é fazer com que eles pensem ‘fora da casinha’, que vejam além”, diz.

Se depender do estudante Lucas Prestes, de 17 anos, o objetivo da professora Luciane foi atingido. Ele pretende fazer vestibular para Ciências da Computação e considerou a atividade desta terça-feira especial. “Estou achando muito legal, pois os professores estão abordando os temas de forma resumida, na prática. É assim que gosto de estudar”.

Atividade – O “aulão” faz parte das ações do “Assembleia no Enem”, projeto desenvolvido pela Diretoria de Comunicação da Alep e que disponibiliza gratuitamente mais de 500 videoaulas de preparação para o ingresso no ensino superior. Os professores da ONG Instituto Educacional Eureka, parceira do projeto, apresentaram no “aulão” questões e dicas sobre as provas do Enem. Os exercícios foram resolvidos em conjunto. A atividade foi transmitida ao vivo pela TV Assembleia e pelas redes sociais do Legislativo.

Leia também: Mais de 700 alunos da rede pública participam de aulão preparatório do ENEM na Assembleia