Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

16/07/2019 às 16h16 > atualizado em 16/07/2019 às 16h24

Deputados universitários protocolam mais de 70 propostas de projetos

Por Vanderson Luiz

Depois de estabelecer uma marca história de inscritos, com 1.419 acadêmicos concorrendo às 54 vagas de deputados, o Parlamento Universitário acaba de anotar um novo recorde. Foram protocoladas 74 proposições, contra 48 da edição anterior, até então a maior quantidade já registrada no programa realizado pela Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

“Sem dúvida alguma é um Parlamento [Universitário] para ficar na história. Tivemos recorde de inscritos, teremos a maior quantidade de universidades participantes e agora um número expressivo de proposições apresentadas pelos deputados universitários. Isso nos deixa com uma expectativa muito boa de que teremos excelentes debates”, afirmou o diretor Legislativo da Alep e da Escola do Legislativo, Dylliardi Alessi.

Ontem, um dia após o término do prazo para o protocolo, a Diretoria de Assistência ao Plenário (DAP) esquadrinhou todas as propostas e definiu as dez Comissões que analisarão os temas, incluindo a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por onde passarão todos os projetos para verificar se estão em conformidade com a Constituição.

“Importante frisar que, embora daremos todo apoio técnico necessário para os acadêmicos, não vamos interferir nas decisões. Por exemplo, tivemos um número significativo de protocolos de projetos, mas caberá à CCJ definir se eles são ou não constitucionais para distribuí-los às comissões temáticas”, informou o diretor do DAP, Juarez Villela Filho.

“Posteriormente vamos analisar com os deputados todas as decisões sobre os projetos, para que saibam se foi acertada ou não”, completou Dylliardi.

Programação - As simulações do Parlamento Universitário iniciam nesta quinta-feira (18), a partir das 13h45, com a posse dos eleitos, seguido da eleição das Mesa Executiva e a escolha do governador universitário. No mesmo dia os blocos farão o protocolo para indicação dos líderes partidários.

O segundo dia de atividades, na sexta-feira, está reservado para composição das Comissões. Primeiro a de Constituição e Justiça e, na sequência, as nove temáticas: Finanças e Orçamento; Agricultura e Meio Ambiente; Obras Públicas, Transportes e Comunicação; Educação, Ciência e Tecnologia; Segurança Pública; Saúde Pública; Indústria, Comércio e Defesa do Consumidor; Cultura, Esporte e Turismo; Direitos Humanos e Cidadania.

A CCJ inicia a análise dos projetos na segunda-feira (22) e tem outras reuniões marcadas para terça e quarta-feira. As Comissões temáticas farão os seus pareceres na terça e na quarta-feira, para que as proposições possam ir ao Plenário na quinta-feira. Se houver emenda nos projetos, a CCJ volta a se reunir na sexta-feira pela manhã, antes da última sessão ordinária, programada para às 10h30.

Eventos – Durante o Parlamento Universitário os acadêmicos terão algumas atividades extras, como a visita ao governador do Estado, programada para o dia 25.

Eles também terão a oportunidade de participar de uma oficina com técnicas de voz, expressão e oratória, ministrada pela professora Michele Pucci, na segunda-feira, dia 22.

“A exemplo do que ocorreu em outras edições, teremos também visitas e palestras de deputados e autoridades de outros poderes durante o Parlamento Universitário”, informou a coordenadora Administrativa da Escola do Legislativo, Francis Fontoura.

O projeto - O Parlamento Universitário chega à sua quarta edição e apesar do pouco tempo de atividade, já é reconhecido por seu papel social e de cidadania. Em 2017, o projeto foi premiado com o 3º Prêmio Cultural da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel), eleito por unanimidade como o melhor projeto educacional desenvolvido por um Legislativo Brasileiro para o público externo, o que o tornou referência no País.

Nesta edição, a novidade é a presença de acadêmicos de instituições de ensino superior do interior do Estado. Foram selecionadas a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), a Universidade Estadual de Londrina (UEL) e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Também participarão a Universidade Federal do Paraná (UFPR), Pontifícia Universidade Católica (PUC-PR), Unicuritiba, Unibrasil, Uninter, Opet, Faculdades Integradas Santa Cruz, Positivo e Estácio, estas sediadas em Curitiba.