Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

26/06/2019 às 10h07

O "cavalheiro" Nelson Justus diz que trata a todos com muito carinho e usa a política para fazer amigos

Por Lilian Chaves

Eleito pela oitava vez, o deputado Nelson Justus (DEM) se orgulha em dizer que a humildade é um atributo que faz com que ele trate a todos com muito carinho. “Não sou melhor que ninguém”, disse ele em uma entrevista ao Programa Política Total, da TV Assembleia.

Justus é visto como um conselheiro pelos deputados novatos que vão até sua sala falar de suas expectativas. “Temos que ensinar os que aqui chegam. A política precisa ser mudada. Eles estão ávidos para fazer a diferença.”

O deputado lembrou que entrou para a política de uma forma inusitada. Como advogado, ele prestou um serviço muito grande ao Paraná. A humildade lhe impede de dizer qual trabalho foi. Com o resultado positivo de sua ação, o governador lhe ofereceu o cargo de Secretário de Estado. “Perguntei ao governador qual era o salário de um secretário. Eu disse que um salário desses não era para mim. O vice-governador me disse que eu tinha cometido um ato deselegante. Aí, eu resolvi aceitar. No final das contas, eu era o primeiro a entrar e o último a sair.”

Quando foi eleito pela primeira vez, em 1990, o deputado não compareceu à cerimônia de posse porque estava doente. Só apareceu na Assembleia alguns dias depois. E ficou surpreso ao receber um gabinete bem pequeno e reclamou ao deputado Aníbal Khoury, na época presidente da Assembleia. “O Aníbal me avisou: vou lhe dizer uma coisa. Quanto menor o gabinete, mais votos.”

Um dos seus principais projetos na Assembleia foi o fim do voto secreto. “O voto secreto permite a fraude e o eleitor não sabia como votava o deputado. Hoje temos uma transparência maior.”

O deputado se diz uma pessoa moderna que acompanha a evolução das coisas. Mas se mostra avesso à tecnologia, quando é usada para “vigiar” as pessoas. “Esse aparelhinho que entra na vida da gente e filtra tudo, acaba com a nossa privacidade”. Ele diz que alguns deputados não conhecem o Paraná a não ser pelo Google. “Tem deputado fabricado na rede social. É culpa deles? Não. As pessoas se acostumaram com isso.”

O deputado fala que era de um “tempo” em que as pessoas o procuravam pedindo algum equipamento e quando havia a entrega era um acontecimento, com churrasco e muita gente. “Como aconteceu esta semana. O dono de uma chácara ofereceu um churrasco, depois de entregarmos uma van para o prefeito. Só que o pessoal do interior não sabe fazer churrasco. Muita gente e a carne passa. Vou ter que ensinar a esse pessoal como é que faz”.

Com muita conversa e muitos amigos, o deputado ainda faz da política uma maneira de continuar a fazer amigos. “Fui acostumado com a porta da casa aberta. Essas coisas que aprendi com meu pai, mesa farta e bons amigos, o resto é bobagem. Acho que a gente tem que saber ouvir e ter humildade”.

Com tanta experiência, o deputado deixa uma lição. “Onde não há amor, onde não existe Deus, não existe felicidade. Só rancor, inimizade. Se você não tiver uma família boa e bons amigos e pessoas que acreditam em você, não há felicidade.”

TV Assembleia  A entrevista do deputado Nelson Justus vai ao ar pela TV Assembleia nesta quinta-feira (27) após a transmissão da sessão do Tribunal de Contas. O programa também pode ser conferido na playlist “Política Total”, que está disponível no canal do Youtube do Legislativo: https://bit.ly/2ZLXu3J



Notícias mais lidas

Destaques