Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

02/08/2019 às 14h58 > atualizado em 02/08/2019 às 15h12

Sessões plenárias da Assembleia serão traduzidas para a língua dos sinais

Por Thiago Alonso

As sessões plenárias da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) transmitidas pela TV institucional e também pelas redes sociais do parlamento passarão a ser traduzidas na Língua Brasileira dos Sinais (Libras), utilizada por deficientes auditivos. A inovação será colocada em prática no retorno do recesso parlamentar, na sessão de 5 de agosto. O objetivo é tornar as transmissões mais inclusivas e acessíveis à comunidade surda. A iniciativa faz parte de um convênio firmado entre a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis) e a Mesa Executiva da Alep.

Os primeiros testes foram feitos durante a transmissão da sessão plenária do Parlamento Universitário no dia 25 de julho. A sessão dos deputados universitários foi traduzida pelas intérpretes de Libras Lígia Klein e Celma Gomes. Mesmo já trabalhando como tradutora profissional há quatro anos, Lígia diz que esta foi especial. “A experiência foi fantástica. É muita emoção fazer esta transmissão, principalmente vendo a reação da Celma”.

A colega é surda e se comunica por meio dos sinais. Ela forma uma parceria com Lígia. Enquanto esta escuta e transmite o que está sendo falado, Celma faz uma espécie de tradução da tradução, mostrando a Lígia sinais muito específicos da linguagem de sinais. Enquanto uma está no ar, a outra está atrás das câmeras, auxiliando no trabalho.

Formada em psicologia, Celma destaca a importância dos interpretes para a comunidade surda. “As leis existem, mas falta uma atenção maior. Eu só consegui me formar quando mudei para uma instituição que oferecia um interprete nas aulas”, conta.  

Durante as transmissões das sessões da Assembleia, três intérpretes vão se revezar nas traduções, cada um em um período de 20 minutos. As sessões são transmitidas pela TV Assembleia nas segundas, terças e quartas-feiras a partir das 14h30. Também são reproduzidas, ao vivo, pelas redes sociais do Legislativo e no site da instituição. Na transmissão da TV Assembleia em canal aberto, através da Rede Mundial, já é possível acompanhar as sessões com legendas, pelo sistema closed caption.

Transparência – “Essa é mais uma iniciativa da Assembleia para abrir suas portas de praticar a inclusão e permitir o acesso aos debates da Casa a todos os cidadãos”, destaca o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB). O primeiro secretário da Assembleia, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), concorda. “É um avanço significativo. Mais do que nos adequarmos à legislação, estamos promovendo cidadania ao incluir as Libras nas transmissões da TV Assembleia e permitir que pessoas com deficiência auditiva possam acompanhar e fiscalizar o trabalho dos deputados estaduais”. Segue o mesmo pensamento, o deputado Gilson de Souza, segundo secretário da Assembleia. ‘“Este é mais um passo importante que damos para deixar a Alep mais próxima da população, em especial das pessoas com deficiência auditiva. A utilização da Língua Brasileira de Sinais nas transmissões da TV Assembleia vai facilitar o contato do Poder Legislativo estadual com essa parcela da população que deseja e tem o direito de participar, opinar, acompanhar e fiscalizar tudo o que acontece na Casa”.

Uma das pessoas responsáveis pela iniciativa é a ouvidora da Assembleia, Claudia Pereira. O trabalho em favor de pessoas com deficiência começou quando Claudia ainda era deputada, na legislatura passada. Por meio de requerimento, ela sugeriu que o parlamento contasse com tradutores de Libras. Para sensibilizar os deputados da importância da linguagem de sinais, a então deputada fez um discurso todo em Libras, que aprendeu em um curso. Foi o primeiro feito por um deputado na história do país. “Intermediamos este contato entre a Feneis e a Mesa Executiva da Alep por saber a importância da iniciativa. Temos de entender o outro e sentir na pele o que sentem. Essa é a ideia”, diz Claudia. 

Libras é reconhecida pela Lei federal nº 10.436/2002 como meio legal de comunicação e expressão no Brasil. De acordo com a legislação, o poder público e as empresas concessionárias de serviços públicos devem garantir instrumentos para apoiar o uso e a difusão da Língua Brasileira de Sinais, como meio de comunicação objetiva e de utilização corrente das comunidades surdas no Brasil.

Modernização – As transmissões das sessões plenárias na linguagem dos sinais fazem parte do processo de modernização da TV Assembleia, que já transmite toda sua grade de programação e a geração de conteúdo em alta definição (HD) desde o mês de junho. Além da mudança na qualidade da geração da imagem, a emissora institucional da Alep também renovou todo o seu parque tecnológico com objetivo de dar mais qualidade e visibilidade à atividade parlamentar. “É mais um investimento nesta área para que a população acompanhe o trabalho dos deputados e participe mais da vida pública, fiscalizando e propondo soluções”, disse a diretora de Comunicação da Assembleia, Kátia Chagas.

As mudanças fazem parte do compromisso da Mesa Executiva da Casa de ampliar e modernizar os canais de comunicação do Poder Legislativo. Foram adquiridas novas câmeras digitais, tripés, microfones, controle mestre, exibidores, ilhas e softwares de edição. Além disso, a emissora agora passa a contar com novos equipamentos de monitoração de sinais de áudio e vídeo, monitores multiview, cabos de fibra ótica e um moderno sistema de armazenamento de arquivos de áudio e vídeo.

Além das câmeras de estúdio disponibilizadas, foram instaladas mais duas câmeras robóticas no plenário da Casa. No Plenarinho foram colocados três destes novos equipamentos e no Auditório Legislativo, sala onde acontecem as reuniões da Comissão de Constituição e Justiça, outras três novas câmeras.

Programação – A programação da TV Assembleia também vem passando por uma renovação. Novos programas como Café com Política e Política Total já estão no ar, e em breve novas atrações também serão incluídas na grade da emissora. Programas como o Economia em Debate; o Espaço da Cidadania; o Cursos e Concursos; o Boletim Assembleia; e a Coletiva do Presidente da Assembleia Legislativa do Paraná continuam na programação. Além disso, são transmitidas ao vivo as sessões plenárias, reuniões da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), audiências públicas e cerimônias solenes. Minutos antes das sessões plenárias, são realizados links ao vivo das entrevistas dos repórteres com os deputados, participantes e homenageados.

A programação da TV Assembleia ainda pode ser assistida diariamente através do canal 16 da NET ou pelo canal do Youtube do Legislativo: https://www.youtube.com/user/TVSinalAssembleiaPR.