Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

<< Voltar ///

02/09/2019 - 17h00

Plantio e preservação da araucária e da erva-mate são debatidos em audiência

Por Cláudia Ribeiro

 Secretaria Estadual da Agricultura, Ministério Público, IBAMA, IAP, IPARDES, EMBRAPA, Emater e Adapar, além de lideranças políticas, agricultores e donos de terras com florestas participaram, na manhã desta segunda-feira (02), da audiência pública sobre o manejo das araucárias, que aconteceu no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). A iniciativa do debate foi do deputado Emerson Bacil (PSL), que é presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, líder do Bloco Parlamentar de Incentivo à Erva-Mate e autor de um projeto de lei que estabelece regras de proteção, manejo sustentável e instrumentos de compensação pela preservação da Mata das Araucárias no Paraná. Bacil diz que é preciso ouvir os especialistas para que a proposta possa ser aprimorada.

(Sonora)

A grande questão em debate foi como promover o manejo florestal no Paraná com sustentabilidade.  E o principal ponto é que se garanta o plantio em novas áreas e de modo adequado. Até 1998 existia o plano de manejo no Paraná, que acabou proibido em 2001.  Atualmente, a Secretaria da Agricultura e Abastecimento estuda a vulnerabilidade da espécie. O Rio Grande do Sul está fazendo o mesmo. O objetivo é traçar uma política comum de todos os estados do Sul à preservação da araucária, como informou ao longo da audiência, o diretor de Licenciamento e Fiscalização do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), José Volnei Bisognin.

(Sonora)

Também falaram Paulo Castella, engenheiro agrônomo da Secretaria do Turismo e Desenvolvimento Sustentável; Carlos Pessoa, presidente do Ipardes e Amauri Ferreira Pinto, coordenador da Assistência Técnica da Emater.

Eles apresentaram os números da araucária e também da erva-mate. Por exemplo, que são 19 espécies de araucárias existentes no mundo. No Brasil, estão em Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina e no Paraná. Por aqui, os pesquisadores avaliam que são sete subespécies. E que apenas 0,8% de florestas são conservadas. Elas estão em Cianorte, Campo Mourão, Campos Gerais e no Parque Nacional do Iguaçu.

O secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, disse que é possível promover o manejo sem destruir a floresta.

(Sonora)

No caso da erva-mate, o Brasil é um dos maiores produtores do mundo e a maior área sombreada do planeta (combinação de erva-mate e araucária) está na região do Vale do Iguaçu, que representa 69% da produção de erva-mate no Paraná. O público também ficou sabendo que são 37 mil produtores de erva-mate no Paraná e a ideia, segundo o presidente da Erva-mate do Vale do Vale do Iguaçu, Naldo Vaz, é trabalhar o plantio casado com a araucária. Ele citou exemplos de experiências bem-sucedidas no estado e que podem ser um diferencial e incentivar os produtores.

(sonora)

O deputado Goura (PDT), que é presidente da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais da Casa, é favorável ao plantio para gerar renda, principalmente aos pequenos produtores, mas com responsabilidade para a preservação. E a Assembleia, de acordo com ele, tem o dever de contribuir com uma boa legislação.

(Sonora)

Alexandre Gaio promotor de Justiça do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção ao Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo do Ministério Público do Paraná, lembrou que 90% da mata de araucária foi desmatada. Mas acredita que é possível resgatar e transformar o que restou gerando renda com sustentabilidade.

(Sonora)

Participaram da audiência pública também os deputados Artagão Junior (PSB) e Soldado Fruet (PODE).

Notícias mais lidas

Destaques