Notícia

Posse dos deputados universitários

18/07/2019 às 17h03 Por Vanderson Luiz
Mesa Executiva eleita no Parlamento Universitário. Leon Castellano será o presidente e Luiz Henrique o 1º secretário. / Foto: Orlando Kissner/Alep

Mesa Executiva eleita no Parlamento Universitário. Leon Castellano será o presidente e Luiz Henrique o 1º secretário. / Foto: Orlando Kissner/Alep

Uma mistura de sensações, entre ansiedade, nervosismo e emoção, tomou conta dos participantes da quarta edição do Parlamento Universitário, durante a sessão de posse dos deputados, nesta quinta-feira (18), no Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). A cerimônia foi comandada pelo presidente da Alep, deputado Ademar Traiano (PSDB), e pelo primeiro-secretário da Casa, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB).

Após o rito regimental, os deputados universitários intensificaram as articulações políticas para composição visando a eleição da Mesa Executiva, o que resultou na inscrição de duas chapas. Leon Castellano, acadêmico de Direito da Universidade Positivo, foi escolhido presidente do Legislativo Universitário, com 29 votos favoráveis. Ele encabeçou o grupo composto por Mohamad Geha (1ª vice-presidência) da Universidade Estadual de Londrina; Eva Gislaine (2ª vice-presidência), da Pontifícia Universidade Católica (PUC); Luiz Henrique (1ª Secretaria), da Unicuritiba; Isa Reis (2ª Secretaria), da Universidade Estadual de Ponta Grossa e Vinícius Peralta (3ª secretaria), da UniCuritiba.

Logo após a vitória no pleito, o presidente eleito do Parlamento Universitário tomou posse, agradeceu o apoio dos deputados e prometeu atuar de forma democrática, fazendo prevalecer o diálogo entre os parlamentares para que os trabalhos transcorram da melhor maneira. “Agradeço a oportunidade que estão me dando, quero fazer uma presidência diplomática, que dê voz a todos [os deputados], não quero partir de nenhum princípio errado. Falei em meu discurso que é a humanidade acima de tudo e vou respeitar todos. Espero que possamos fazer um trabalho produtivo, onde os deputados possam discutir seus projetos e, principalmente, fazer um bom trabalho”.

O novo presidente disse que ficou surpreso com os momentos que antecederam a eleição da mesa pela movimentação e articulação dos demais parlamentares e o quanto é importante estar preparado para o debate. “Foi muito interessante a articulação. Eu não tinha noção do tamanho disso, da importância de chegar aqui preparado e foi importante o contato com as demais universidades, a diversidade de cursos e de ideias.

Governador – Após alçado ao comando do Parlamento Universitário, o presidente Leon Castellano assumiu os trabalhos na Mesa e convocou a eleição do governador universitário e a maioria dos deputados escolheu o representante da UniCuritiba, Matheus Felipe Iarrocheski Falasco, que durante a sua “campanha” para convencer os representantes do parlamento, adotou um discurso conciliador e moderado. “Eu aposto principalmente no diálogo e na negociação. Eu entendo que o Executivo e o Legislativo estão aqui para trabalharem juntos. Então foi assim que me comprometi, dar atenção total aos projetos, não apenas da base, mas também da oposição, prezando pelo diálogo entre os Poderes pelo bem do povo paranaense”.

Matheus revelou que foi a segunda tentativa de participar do Parlamento Universitário. Na edição anterior se inscreveu, mas não conseguiu a seleção na instituição que representa. Desta vez, não apenas conquistou o direito de estar no Parlamento Universitário, como foi escolhido para o principal cargo do programa. “Fica a dica para quem tem vontade de participar e de repente não conseguiu uma das vagas: não desistam nunca de seus sonhos, porque uma hora você alcança”.

Blocos parlamentares – Outra etapa do Regimento Interno do Parlamento Universitário cumprida nesta quinta-feira, foi a indicação dos líderes partidários e dos blocos parlamentares.

Foram compostos quatro grupos, que no segundo dia de atividades do Parlamento, nesta sexta-feira (19), indicarão seus representantes para a composição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e as demais Comissões temáticas. O processo de escolha e eleição do presidente de cada Comissão ocorrerá ainda no período da manhã, já que à tarde, a CCJ inicia os trabalhos para analisar as 75 proposições protocoladas pelos deputados universitários.

PUC e Unicuritiba formaram o Bloco Parlamentar União e a deputada Clara Regina Espindola, foi escolhida para a liderança; Uninter e Unibrasil, que somaram 11 eleitos, juntaram-se na formação do Bloco Parlamentar União Uninter-Unibrasil e escolheram o deputado Mário Henrique Lemos como líder.

O Bloco Parlamentar Um Novo Paraná reúne os partidos Estácio, Faculdades Santa Cruz, Universidade Federal do Paraná e Unioeste, elegendo como líder a deputada Lúcia Moliani Braga.  Por fim, o último dos quatro grupos, terá a junção de representantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade Positivo e UniOpet e na liderança estará a deputada Amanda de Melo.

Objetivos diferentes – Cada deputado universitário eleito para participar do Parlamento Universitário tem um objetivo impar, seja aprimorar o conhecimento, a curiosidade de conhecer o processo legislativo ou sonhos mais ambiciosos.

É o caso do acadêmico de Medicina Mohamad Walyd Nabil Geha, representante da Universidade Estadual de Londrina. Além de debater projetos em benefícios da sociedade, ele quer no futuro, comandar o Ministério da Saúde. “É um projeto muito interessante que a Assembleia Legislativa realiza para trazer os estudantes para mais próximo da Casa. Eu tenho interesse pessoal, por ser da área de saúde. Sempre tive o sonho de ser Ministro da Saúde e ter essa oportunidade de estar aqui é uma forma de conhecer o processo do Poder Legislativo. O que eu acredito também que os projetos discutidos de forma correta, por mais que seja uma simulação, possam virar realidade e contribuir com a sociedade paranaense”.

Já a acadêmica de Direito da Unibrasil, Sthephany Patrício da Silva, autora da única Proposta de Emenda Constitucional protocolada no Parlamento Universitário, o objetivo é aprofundar o conhecimento na área legislativa. “É uma experiência completamente diferente para mim, pois quando estudamos o processo legislativo no curso de Direito, vimos apenas no plano Federal e o Parlamento Universitário me oportuniza ter acesso ao plano estadual. Embora as leis sejam iguais, os procedimentos são um pouco diferentes. Quero aproveitar cada momento”.

Rafael Francisco Secchi Pinto Ribero, deputado eleito pela Universidade Positivo, confessou que estava um pouco nervoso na primeira sessão, mas não escondeu a animação por ter sido um dos escolhidos e agora quer aproveitar a oportunidade para adquirir experiência na política. “Acho importante a participação dos universitários no programa e também a proposta da Assembleia Legislativa de abrir as portas para que possamos entender melhor como funciona o processo legislativo e o trabalho dos deputados. Mas, embora um pouco nervoso, estou muito animado para participar de todo o processo e sair daqui com uma experiência enriquecedora”.