Seminário vai discutir panorama do diabetes no estado Doença crônica e silenciosa, o diabetes é caracterizado pelo excesso de açúcar no sangue. Evento é proposto pelos deputados Ademar Traiano, Romanelli e Doutor Batista.

04/10/2019 15h08 | por Thiago Alonso
Doença crônica séria e silenciosa, o diabetes é caracterizado pelo excesso de açúcar no sangue. Seminário na Alep vai discutir panorama do diabetes no estado.

Doença crônica séria e silenciosa, o diabetes é caracterizado pelo excesso de açúcar no sangue. Seminário na Alep vai discutir panorama do diabetes no estado.Créditos: Foto: Freepik

Doença crônica séria e silenciosa, o diabetes é caracterizado pelo excesso de açúcar no sangue. Seminário na Alep vai discutir panorama do diabetes no estado.

O diabetes é uma doença crônica séria e silenciosa, que pode ocasionar complicações graves e levar até a morte do paciente. O problema, que não pode ser ignorado, será tema do I Seminário Paranaense sobre o Panorama da Pessoa com Diabetes no País, que ocorre na próxima terça-feira (8) na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). O evento, proposto pelo presidente da Casa, deputado Ademar Traino (PSDB), pelo primeiro-secretário, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), e pelo presidente da Comissão de Saúde Pública, deputado Dr. Batista (PMN), começa às 9 horas no Plenarinho.

Traiano diz que a Assembleia, mais uma vez, está na linha de frente em defesa da saúde dos paranaenses. ”Por proposição minha, do deputado Romanelli e do deputado Dr. Batista, faremos no próximo dia 8 o Seminário Paranaense sobre o Panorama da Pessoa com Diabetes no País. A diabetes é uma doença muito séria que pode ser evitada com a prevenção e suas consequências minimizadas com o tratamento adequado. Vamos todos nos engajar nessa luta”, lembra.

Para Romanelli, a Assembleia está se abrindo para a discussão de um tema muito relevante. “O diabetes atinge 7 % da população e por muitas vezes é uma doença silenciosa. Precisamos ampliar os debates, trocar conhecimentos sobre novos tratamentos e também sobre convivência com a doença e melhoria da qualidade de vida”, explica.

O diabetes é uma doença caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue. Com isso, as células do corpo ficam com pouca energia e o sangue repleto de glicose. A doença, que pode ocorrer na infância, na maioria das vezes atinge adultos. Entre os fatores de risco estão a alimentação desequilibrada, pobre em frutas e verduras e rica em carboidratos e gorduras; obesidade e sobrepeso; sedentarismo e histórico familiar.

Segundo dados de 2017 do Ministério da Saúde, cerca de 9% da população brasileira convive com a doença. No Paraná, apenas em 2016, o diabetes causou a morte de 3.472 pessoas e 7.201 internamentos. De acordo com o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), o número de mortes relacionadas ao diabetes no Brasil cresceu 11,8% entre 2006 e 2016, saindo de 54.877 mortes para 61.398 no ano de 2016.

Participações – O encontro na Assembleia é uma sugestão da médica endocrinologista Rosângela Roginski Réa, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), e vai contar com a presença do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, do diretor-geral da secretaria, Nestor Werner Júnior, da presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Paraná (COSEMS-PR), Cristiane Martins Pantaleão, da diretora do Centro de Medicamentos do Paraná (CEMEPAR), Magely de Souza Nunes, e do diretor da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná (SBEM-PR), Cleo Otaviano Mesa Junior.

Entre os temas tratados estarão “O diabetes no Brasil”, com Hermelinda Pedrosa (SBD Nacional), “O diabetes no Paraná”, com Ana Cristina Ravazzani de Almeida Faria (SESA), “O diabetes no município de Curitiba”, com Alexei Volaco (SBD Regional), e “A pessoa com diabetes e as associações de portadores”, com Maria Izabel Martins (APAD). Entre os assuntos abordados também estarão “Ações educacionais do Hospital Pequeno Príncipe voltadas à criança com diabetes”, com Donizetti Dimer Giamberardino Filho (HPP), “Educação em diabetes para a criança no Paraná”, com Suzana Nesi França (UEP) e “Projeto de educação em diabetes no Paraná 2019”, com Denise Beheregaray Kaplan (SBD Regional).

Prevenção – O diabetes pode ser evitado, assim como a hipertensão e o colesterol alto, desde que hábitos saudáveis, como alimentação adequada e a prática de atividade física, sejam adotados. O estilo de vida é um fator decisivo para o surgimento do diabetes tipo 2, responsável por aproximadamente 95% dos casos. No início, ele é praticamente assintomático, o que pode levar o problema a ser identificado apenas quando já começam a surgir as complicações. Quando o diagnóstico é precoce, é possível inclusive reverter a doença por meio da alimentação e da prática de atividade física.

Quando não tratada, o diabetes pode levar a complicações bastante prejudiciais à saúde, como infecções, insuficiência renal, infarto do miocárdio, derrame cerebral e doenças vasculares, como derrame cerebral até gangrena de braços e pernas. A necessidade de amputações de membros inferiores também pode ser causada pela doença. No Brasil, estimativa do Ministério da Saúde mostra que 70% das amputações de membros inferiores feitas no País está relacionada à doença.

Data – O Dia Mundial do Diabetes surgiu em 1991 por iniciativa pela Federação Internacional do Diabetes (IDF) e Organização Mundial da Saúde (OMS) diante da preocupação com o aumento do número de diagnósticos em todo o mundo. Em 2007, a data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU). O dia 14 de novembro foi escolhido para homenagear Frederick Banting que, junto com Charles Best, concebeu a ideia que levou à descoberta da insulina em 1921.

Agenda

TRAMITAÇÃO DE PROJETOS

LEIS ESTADUAIS

PROJETOS PARA JOVENS

  • Visita Guiada
  • Geração Atitude
  • labels.alep_enem
  • Parlamento Universitário
  • Escola do Legislativo
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná © 2019 | Desenvolvido pela Diretoria de Comunicação