Deputado reconhece esforço do professor Zanetti em preservar a araucária

06/04/2021 15h09 | por Diretoria de Comunicação com assessoria parlamentar
Professor Flávio Zanetti, pesquisador do setor de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e estudioso da Araucaria angustifolia.

Professor Flávio Zanetti, pesquisador do setor de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e estudioso da Araucaria angustifolia.Créditos: Arquivo

Professor Flávio Zanetti, pesquisador do setor de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e estudioso da Araucaria angustifolia.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta segunda-feira (5) o esforço do professor Flavio Zanetti na preservação da araucária, árvore símbolo do Paraná. Engenheiro-agrônomo, doutor em Fitotecnia e professor da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Zanetti usou o quintal da própria casa onde mora como laboratório na criação de uma técnica de produção.

O professor criou uma técnica de clonagem com ciclo de crescimento acelerado e alta produtividade. “Há 35 anos, o professor Flávio Zanetti dedica a vida no estudo da araucária e esse esforço apresenta resultados que vão fazer com que a árvore símbolo do Paraná sobreviva e não seja extinta nem vire peça de museu”, disse Romanelli.

Estudos apontam que, caso o processo de derrubada de matas nativas continue no ritmo em que se encontra atualmente, em 2070 a Araucária angustifólia será definitivamente extinta. “Uma perda considerável para o meio ambiente e para o Paraná, uma vez que a araucária é uma espécie rentável e que pode gerar emprego e renda ao produtor rural”, acrescenta.

Descoberta — Na técnica utilizada, o professor Zanetti faz enxertos com o material genético da araucária de caçador, que ficou conhecida pelo recorde de produtividade. Para se chegar a resultados conclusivos e satisfatórios, o professor observou que, como em outras espécies de árvores produtivas, a exemplo da maçã, da uva e do pêssego, em que o processo de clonagem garante resultados imediatos e permanentes, o potencial de enxerto da araucária também apresenta resultados surpreendentes.

“Foi aí que eu pensei em desenvolver a enxertia de araucária e busquei outras técnicas de clonagem para clonar indivíduos superiores para formar uniformidade de pomares”, justifica o professor.

Com a pesquisa, o professor Zanetti, descobriu que é possível que esta seja a maior produtividade já conhecida até hoje no Brasil e no mundo. Em 2015, quando ele iniciou o experimento, a árvore gerou mais de 600 pinhas, resultado três vezes maior que a média de um pinheiro normal. Em 2017 os resultados dos clones começaram a aparecer. Agora, cada planta matriz apresenta 45 ramos.

“Os primeiros da base têm três ou quatro de botões florais para cada uma. Em cinco plantas temos pelo menos 55 botões, uma confirmação de que a característica genética da matriz de caçador se reproduz e se repete na sua clonagem em cima de porta-enxerto comum”, explica. Para ele, nesses 30 anos de pesquisa, ele observou que a araucária é um dom da natureza.

“É uma planta que ainda tem muito a ser explorada e estudada porque esses fenômenos que estão ocorrendo são indicativos de que a araucária ainda tem muito para nos dar, sendo mais conhecida e mais plantada. Eu não diria só preservada, porque um dia vai morrer e, se não plantar vai desaparecer”, estima.

Ainda segundo a pesquisa do professor, com a precocidade na floração, normalmente os botões começam a aparecer nas araucárias entre o fim de agosto e início de setembro. Mas, nos enxertos, eles surgiram em fevereiro, praticamente seis meses antes do normal. São esses botões florais que vão dar origem as espinhas e os pinhões. Para o professor, ainda é cedo para afirmar que essas flores precoces irão formar pinhões, pois isso depende de fatores como pólen e clima. “Mas é um bom indício do potencial dessas plantas. O importante é saber que o ciclo de crescimento acelerado e alta produtividade podem estimular o plantio da araucária nos estados e garantir a preservação da espécie”, conclui.

Preservação — Para incentivar a preservação da árvore, os deputados paranaenses aprovaram a lei 20223/2020 que incentiva o plantio sustentável de araucária com fins comerciais da planta. A autoria da lei é dos deputados Romanelli, Emerson Bacil (PSL) e Hussein Bakri (PSD), que ganhou amplo apoio dos demais parlamentares, ambientalistas e entidades que atuam na preservação do meio ambiente.

Romanelli explica que, com a lei já aprovada e em vigor no Paraná, toda pessoa que plantar Araucaria angustifolia em imóveis rurais para fins de exploração dos produtos e subprodutos madeireiros e não madeireiros oriundos do plantio, deverá cadastrar a plantação e declarar a exploração como para fins de controle de origem, devendo a propriedade ou posse rural estar devidamente inscrita no CAR (Cadastro Ambiental Rural).

A lei incentiva também a certificação florestal voluntária dos produtos madeireiros e não madeireiros oriundos dessas plantações de araucária. Ainda segundo Romanelli, pela lei, “é permitida a formação de cooperativas de agricultores para o plantio e exploração de plantação de araucária, bem como a educação do campo e ambiental dos agricultores sobre espécies em extinção e a importância da preservação dos remanescentes naturais”.

“Essa lei promove um avanço significativo na preservação da araucária, porque, além da madeira, a exploração vai permitir a utilização de seus subprodutos. Isso é importante como atividade econômica. Construímos um texto incontroverso. O Paraná vai poder plantar e explorar a araucária com toda segurança jurídica”, observa.

O deputado acrescenta, no entanto, que o plantio de árvore para fins de exploração econômica na modalidade direta não poderá ocorrer, e, nem tampouco ser registrado em APPs (Áreas de Preservação Permanente), em áreas de reserva legal e nem áreas de remanescentes de vegetação nativa onde o desmatamento de vegetação nativa do bioma Mata Atlântica tenha ocorrido de forma ilegal.

Agenda

TRAMITAÇÃO DE PROJETOS

LEIS ESTADUAIS

PROJETOS PARA JOVENS

  • Visita Guiada
  • Geração Atitude
  • labels.alep_enem
  • Parlamento Universitário
  • Escola do Legislativo
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná © 2019 | Desenvolvido pela Diretoria de Comunicação
abrir página Fechar Voltar
  • Abatiá
  • Agudos do Sul
  • Almirante Tamandaré
  • Altamira do Paraná
  • Alto Paraíso
  • Alto Paraná
  • Alto Piquiri
  • Alvorado do Sul
  • Amaporã
  • Anahy
  • Andirá
  • Antonina
  • Antônio Olinto
  • Arapongas
  • Arapoti
  • Arapuã
  • Araruna
  • Ariranha do Ivaí
  • Assis Chateaubriand
  • Astorga
  • Atalaia
  • Bandeirantes
  • Barbosa Ferraz
  • Barra do Jacaré
  • Barracão
  • Bela Vista da Caroba
  • Bela Vista do Paraíso
  • Bituruna
  • Boa Esperança
  • Boa Esperança do Iguaçu
  • Boa Ventura do São Roque
  • Boa Vista da Aparecida
  • Bom Jesus do Sul
  • Bom Sucesso do Sul
  • Bom Sucesso
  • Borrazópolis
  • Braganey
  • Brasilândia do Sul
  • Cafeara
  • Cafelândia
  • Califórnia
  • Cambará
  • Cambé
  • Cambira
  • Campina da Lagoa
  • Campina do Simão
  • Campo Bonito
  • Campo Largo
  • Campo Magro
  • Campo Mourão
  • Cândido de Abreu
  • Candói
  • Cantagalo
  • Capanema
  • Capitão Leônidas Marques
  • Carambeí
  • Carlópolis
  • Cascavel
  • Centenário do Sul
  • Cerro Azul
  • Céu Azul
  • Chopinzinho
  • Cianorte
  • Cidade Gaúcha
  • Clevelândia
  • Colorado
  • Congoinhas
  • Conselheiro Mairinck
  • Contenda
  • Corbélia
  • Cornélio Procópio
  • Coronel Domingos Soares
  • Coronel Vivida
  • Corumbataí do Sul
  • Cruz Machado
  • Cruzeiro do Iguaçu
  • Cruzeiro do Oeste
  • Cruzeiro do Sul
  • Cruzmaltina
  • Curiúva
  • Diamante D’Oeste
  • Diamante do Norte
  • Diamante do Sul
  • Dois Vizinhos
  • Douradina
  • Doutor Camargo
  • Doutor Ulysses
  • Enéas Marques
  • Engenheiro Beltrão
  • Espigão Alto do Iguaçu
  • Esperança Nova
  • Farol
  • Faxinal
  • Fazenda Rio Grande
  • Fênix
  • Fernandes Pinheiro
  • Flor da Serra do Sul
  • Floraí
  • Florestópolis
  • Flórida
  • Formosa do Oeste
  • Foz do Iguaçu
  • Foz do Jordão
  • Francisco Alves
  • Francisco Beltrão
  • General Carneiro
  • Godoy Moreira
  • Goioerê
  • Goioxim
  • Grandes Rios
  • Guaíra
  • Guairaçá
  • Guamiranga
  • Guapirama
  • Guaporema
  • Guaraci
  • Guaraniaçu
  • Guarapuava
  • Guaraqueçaba
  • Guaratuba
  • Honório Serpa
  • Ibaiti
  • Ibiporã
  • Icaraíma
  • Iguaraçu
  • Imbaú
  • Imbituva
  • Inácio Martins
  • Inajá
  • Indianópolis
  • Ipiranga
  • Iporã
  • Irati
  • Iretama
  • Itaguajé
  • Itaipulândia
  • Itambaracá
  • Itambé
  • Itapejara D’Oeste
  • Itaperuçu
  • Ivaiporã
  • Ivatuba
  • Jaboti
  • Jacarezinho
  • Jaguariaíva
  • Jandaia do Sul
  • Janiópolis
  • Japira
  • Japurá
  • Jardim Alegre
  • Jataizinho
  • Jesuítas
  • Joaquim Távora
  • Jundiaí do Sul
  • Juranda
  • Jussara
  • Kaloré
  • Lapa
  • Laranjal
  • Laranjeiras do Sul
  • Leópolis
  • Lidianópolis
  • Lindoeste
  • Loanda
  • Lobato
  • Londrina
  • Luiziana
  • Lunardelli
  • Lupionópolis
  • Mallet
  • Mamborê
  • Mandaguari
  • Mandirituba
  • Manfrinópolis
  • Mangueirinha
  • Manoel Ribas
  • Maria Helena
  • Marialva
  • Marilândia do Sul
  • Marilena
  • Mariluz
  • Maringá
  • Mariópolis
  • Maripá
  • Marmeleiro
  • Marquinho
  • Matinhos
  • Mauá da Serra
  • Medianeira
  • Mercedes
  • Mirador
  • Miraselva
  • Moreira Sales
  • Morretes
  • Nossa Senhora das Graças
  • Nova Aurora
  • Nova Cantu
  • Nova Esperança
  • Nova Esperança do Sudoeste
  • Nova Laranjeiras
  • Nova Londrina
  • Nova Olímpia
  • Nova Prata do Iguaçu
  • Nova Santa Bárbara
  • Nova Tebas
  • Novo Itacolomi
  • Ortigueira
  • Ortigueira
  • Ouro Verde do Oeste
  • Pinhais
  • Palmas
  • Palmeira
  • Palmital
  • Paraíso do Norte
  • Paranacity
  • Paranapoema
  • Paranavaí
  • Pato Branco
  • Paula Freitas
  • Paulo Frontin
  • Peabiru
  • Pérola D’Oeste
  • Pérola
  • Pinhal de São Bento
  • Pinhalão
  • Pinhão
  • Pirai do Sul
  • Piraquara
  • Pitanga
  • Ponta Grossa
  • Pontal do Paraná
  • Porecatu
  • Porto Barreiro
  • Porto Vitória
  • Prado Ferreira
  • Pranchita
  • Presidente Castelo Branco
  • Primeiro de Maio
  • Prudentópolis
  • Quarto Centenário
  • Quatiguá
  • Quatro Barras
  • Quedas do Iguaçu
  • Querência do Norte
  • Quinta do Sol
  • Quitandinha
  • Ramilândia
  • Rancho Alegre
  • Realeza
  • Rebouças
  • Renascença
  • Reserva do Iguaçu
  • Ribeirão Claro
  • Ribeirão do Pinhal
  • Rio Azul
  • Rio Bonito do Iguaçu
  • Rio Branco do Ivaí
  • Rio Negro
  • Rolândia
  • Roncador
  • Rondon
  • Sabáudia
  • Salgado Filho
  • Salto do Itararé
  • Salto do Lontra
  • Santa Cecília do Pavão
  • Santa Cruz de Monte Castelo
  • Santa Fé
  • Santa Helena
  • Santa Izabel do Oeste
  • Santa Lúcia
  • Santa Maria do Oeste
  • Santa Mariana
  • Santa Mônica
  • Santa Tereza do Oeste
  • Santa Terezinha de Itaipu
  • Santana do Itararé
  • Santo Antonio do Caiuá
  • Santo Antonio do Paraíso
  • Santo Antônio da Platina
  • Santo Inácio
  • São Carlos do Ivaí
  • São Jerônimo da Serra
  • São João do Caiuá
  • São João do Ivaí
  • São João do Triunfo
  • São João
  • São Jorge D’Oeste
  • São Jorge do Patrocínio
  • São José da Boa Vista
  • São José das Palmeiras
  • São Manoel do Paraná
  • São Mateus do Sul
  • São Pedro do Iguaçu
  • São Pedro do Ivaí
  • São Sebastião da Amoreira
  • São Tomé
  • Sapopema
  • Sarandi
  • Saudade do Iguaçu
  • Sengés
  • Sertaneja
  • Serranópolis do Iguaçu
  • Siqueira Campos
  • Sulina
  • Tamarana
  • Tamboara
  • Tapejara
  • Tapira
  • Teixeira Soares
  • Telêmaco Borba
  • Terra Rica
  • Tibagi
  • Tijucas do Sul
  • Toledo
  • Tomazina
  • Três Barras do Paraná
  • Tunas do Paraná
  • Tuneiras do Oeste
  • Tupãssi
  • Turvo
  • Ubiratã
  • Umuarama
  • União da Vitória
  • Uniflor
  • Uraí
  • Ventania
  • Vera Cruz do Oeste
  • Virmond
  • Wenceslau Braz
  • Xambrê
Assembleia decreta calamidade pública em 331 municípios veja no mapa