Deputados questionam obras inacabadas pelas concessionárias de pedágio na região dos Campos Gerais Há dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.

15/04/2021 16h15 | por Eduardo Santana
Deputado têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.

Deputado têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.Créditos: Dálie Felberg/Alep

Deputado têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.

Deputados têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.Créditos: Dálie Felberg/Assembleia

Deputados têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.

Deputados têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.Créditos: Dálie Felberg/Alep

Deputados têm dúvidas sobre o futuro dessas obras ainda sem conclusão após o término do atual contrato de concessão, que se encerra no próximo mês de novembro.

Deputados estaduais que participaram da audiência pública para debater o novo modelo de pedágio no estado cobraram a conclusão de obras inacabadas, que são de responsabilidade das concessionárias que administram as rodovias da região dos Campos Gerais. As cobranças foram feitas durante a 12ª audiência pública promovida pela Frente Parlamentar Sobre o Pedágio, da Assembleia Legislativa do Paraná, realizada remotamente nesta quinta-feira (15). Além dos parlamentares, o encontro reuniu lideranças políticas, empresariais e comunitárias da região de Ponta Grossa.  

A audiência começou com um vídeo em homenagem ao ex-deputado estadual Delegado Racalcatti (PSD) e ao ex-deputado federal pelo Paraná, José Carlos Schiavinato (PP), que faleceram recentemente. Recalcatti morreu no dia 9 de abril após sofrer um infarto fulminante. Já Schiavinato lutou por dias contra as complicações da Covid-19 e acabou falecendo na última terça-feira (13). Os dois parlamentares participaram de maneira efetiva das audiências públicas promovidas pela Frente Parlamentar Sobre o Pedágio se posicionando sempre contrários ao novo modelo de concessão proposto pelo Governo Federal. 

“Ambos os nossos amigos deputados participaram efetivamente da nossa caminhada contra o modelo de pedágio proposto pelo Governo Federal, se posicionando contra esse novo contrato. Tanto presencialmente, quanto remotamente, Recalcatti e Schiavinato estiveram juntos conosco nessas reuniões. Posso garantir a eles que essa luta não será em vão”, afirmou o deputado Arilson Chiorato (PT).  

A primeira deputada a se manifestar na audiência foi Mabel Canto (PSC), que representa no Poder Legislativo a região de Ponta Grossa. Ela questionou sobre o futuro das obras na região dos Campos Gerais, previstas em contrato e que ainda não foram concluídas. “A nossa região é uma das mais produtivas e fomos afetados, principalmente com as obras inacabadas. Temos algumas obras acontecendo, mas é pouco. Não é privilégio receber essas obras. São obras previstas em contrato e que deviam ter sido feitas há muito tempo. Por isso bato na tecla das concessionárias que já estiveram em casos de corrupção e estão querendo voltar a participar dessa nova licitação. Isso é um absurdo” afirmou Mabel. 

“Não podemos cometer os erros do passado. Após 24 anos, hoje podemos discutir com mais conhecimento sobre esses contratos e sabemos o que não podemos fazer. Defendo a menor tarifa, obras no começo do contrato e dinheiro para garantia dessas obras. Espero que possamos discutir essas bandeiras e convencer o Governo do Estado e o Governo Federal a atender esses pedidos, que são pedidos de toda a sociedade paranaense. Precisamos de regras claras e transparência”, alertou o deputado Plauto Miró (DEM), também representante da região dos Campos Gerais.   

O deputado Subtenente Everton foi outro parlamentar que levantou a discussão sobre as obras inacabadas nas rodovias que cortam a região dos Campos Gerais. “Quem vai terminas as obras em andamento? Sempre faço esse questionamento. Porque quem vencer a licitação não vai terminar obras inacabadas e se terminar o valor de desconto vai acabar. Sugiro ao Governo assumir os pedágios, instalar um pedagiomêtro e com o dinheiro arrecadado vamos terminar as obras. Daí sim fazer um leilão com preço justo”, sugeriu.  

“Ponta Grossa é o maior entroncamento ferroviário e rodoviário. Todo o Paraná se encontra em Ponta Grossa. Por isso é importante que as obras ocorram de maneira urgente. Além das outras obras inacabadas. Não podemos pagar mais uma vez por essas obras e é por isso que não podemos aceitar esse novo modelo de concessão”, apontou o deputado Tercílio Turini (CDN).  

Transparência – O deputado Nelson Luersen (PDT) afirmou que o Paraná não pode mais se envolver num contrato de concessão que poderá gerar questionamentos jurídicos futuros. “Somos a favor de um contrato simples, transparente e que a população entenda. Não precisamos de um contrato cheio de amarras, que vai gerar uma guerra jurídica nos próximos anos. Não vamos ter pressa. Se chegar novembro e não acontecer as licitações, vamos abrir as cancelas e vamos ver a demanda correta para fazer um contrato de concessão justo”, disse. “Empresas que foram envolvidas em casos de corrupção não podem participar das novas licitações. Além disso, também somos contra aquelas empresas que não cumpriram à risca o que está previsto nos contratos de concessão”, complementou o deputado Luiz Fernando Guerra (PSL).  

O deputado Emerson Bacil (PSL) também questionou a participação de empresas envolvidas com o atual modelo de pedágio no novo processo de concessão de estradas no Paraná. “Não podemos deixar concessionárias que não fizeram o que tinham que fazer e que se envolveram com casos de corrupção participar dessas concessões. Os termos técnicos dos novos contratos precisam atender a população e não somente as empresas, que precisam atuar mais junto à população. Além disso, precisamos saber quem está por trás dessas concessionárias”, destacou.   

“O pedágio tem um impacto na vida das pessoas, na economia, na geração de emprego. Por isso é muito importante esse debate. Há uma discussão política em relação a esse tema, e é fundamental esse posicionamento da Assembleia. Precisamos também de um posicionamento do Governo do Estado. Os termos contratuais precisam nos trazer garantias de obras e investimentos. Aqui em Brasília estamos em contato direto com o Ministério de Infraestrutura, já tivemos alguns avanços e queremos mais”, declarou o deputado federal Aliel Machado (PSB-PR).  

Posição - Para o deputado Requião Filho (MDB), é preciso posicionamento mais claros nas partes envolvidas na discussão sobre o novo modelo de pedágio no estado. “Na questão pedágio ou se é contra ou se é a favor. Isso está confusão ainda nos discursos. A privatização se mostrou ineficaz e é possível, sim, o Estado dar conta das estradas do Paraná. Ninguém quer pagar um pedágio no qual as obras não vão acontecer. Precisamos de menor tarifa e maior desconto. Ponta Grossa e região, provavelmente, foi a mais atingida pelo pedágio porque não recebeu as obras previstas”, afirmou  

“Não só os deputados que são contra esse modelo apresentado. Mas também toda a sociedade paranaense. Ninguém quer esse modelo apresentado pelo Governo Federal. Precisamos mudar de atitude e mostrar cada vez mais o que o Paraná quer em relação ao novo pedágio. E volto a perguntar: quem vai pagar essas obras inacabadas?”, questionou o deputado Soldado Fruet (PROS).  

O deputado Professor Lemos (PT) ressaltou que é preciso que o Governo do Estado participe mais dos debates que envolvem o novo modelo de concessão das estradas do Paraná. “Depois de 24 anos sendo explorados, agora é hora de fazer com que o Paraná pare de ser prejudicado. Esse modelo vai contra a nossa economia e contra o nosso povo. O Governo do Paraná precisa ouvir nossa frente parlamentar e todo o povo do Paraná. Não precisamos de colocar pedágios em novos trechos. Menor preço e menor tempo de contrato, protegendo sempre os moradores das cidades do entorno das praças de pedágio”, declarou.   

“Essa questão do pedágio atinge a todos. Produtores rurais da região dos Campos Gerais, que atendem Curitiba, me afirmaram que parte do que eles ganham fica no pedágio. Se o Governo Federal e o Estadual querem levar em banho-maria essa discussão, até ser tomada uma decisão, então precisamos botar em discussão e votação o projeto que não deixa que novos trechos de pedágio de estradas estaduais sejam cedidos ao Governo Federal. Nós deputados temos uma tarefa enorme pela frente”, apontou o deputado Tadeu Veneri (PT).  

“Se não fosse a Frente, com essas audiências, a população do Paraná não estaria acompanhando essa confusão da renovação do pedágio. Esse contrato vai durar 30 anos e precisa ser muito discutido. Isso afeta toda a sociedade. Precisamos neste momento falar ao nosso Governo do Estado que é preciso comunicar Brasília que vamos fazer essas licitações por aqui. Só assim vamos atender as demandas dos paranaenses”, concluiu o senador Flávio Arns (PODE).  

Leia mais: Com posição logística de destaque, Ponta Grossa defende pedágio justo e transparente

Ouça o Podcast relacionado

 

Agenda

TRAMITAÇÃO DE PROJETOS

LEIS ESTADUAIS

PROJETOS PARA JOVENS

  • Visita Guiada
  • Geração Atitude
  • labels.alep_enem
  • Parlamento Universitário
  • Escola do Legislativo
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná © 2019 | Desenvolvido pela Diretoria de Comunicação
abrir página Fechar Voltar
  • Abatiá
  • Agudos do Sul
  • Almirante Tamandaré
  • Altamira do Paraná
  • Alto Paraíso
  • Alto Paraná
  • Alto Piquiri
  • Alvorado do Sul
  • Amaporã
  • Anahy
  • Andirá
  • Antonina
  • Antônio Olinto
  • Arapongas
  • Arapoti
  • Arapuã
  • Araruna
  • Ariranha do Ivaí
  • Assis Chateaubriand
  • Astorga
  • Atalaia
  • Bandeirantes
  • Barbosa Ferraz
  • Barra do Jacaré
  • Barracão
  • Bela Vista da Caroba
  • Bela Vista do Paraíso
  • Bituruna
  • Boa Esperança
  • Boa Esperança do Iguaçu
  • Boa Ventura do São Roque
  • Boa Vista da Aparecida
  • Bom Jesus do Sul
  • Bom Sucesso do Sul
  • Bom Sucesso
  • Borrazópolis
  • Braganey
  • Brasilândia do Sul
  • Cafeara
  • Cafelândia
  • Califórnia
  • Cambará
  • Cambé
  • Cambira
  • Campina da Lagoa
  • Campina do Simão
  • Campo Bonito
  • Campo Largo
  • Campo Magro
  • Campo Mourão
  • Cândido de Abreu
  • Candói
  • Cantagalo
  • Capanema
  • Capitão Leônidas Marques
  • Carambeí
  • Carlópolis
  • Cascavel
  • Centenário do Sul
  • Cerro Azul
  • Céu Azul
  • Chopinzinho
  • Cianorte
  • Cidade Gaúcha
  • Clevelândia
  • Colorado
  • Congoinhas
  • Conselheiro Mairinck
  • Contenda
  • Corbélia
  • Cornélio Procópio
  • Coronel Domingos Soares
  • Coronel Vivida
  • Corumbataí do Sul
  • Cruz Machado
  • Cruzeiro do Iguaçu
  • Cruzeiro do Oeste
  • Cruzeiro do Sul
  • Cruzmaltina
  • Curiúva
  • Diamante D’Oeste
  • Diamante do Norte
  • Diamante do Sul
  • Dois Vizinhos
  • Douradina
  • Doutor Camargo
  • Doutor Ulysses
  • Enéas Marques
  • Engenheiro Beltrão
  • Espigão Alto do Iguaçu
  • Esperança Nova
  • Farol
  • Faxinal
  • Fazenda Rio Grande
  • Fênix
  • Fernandes Pinheiro
  • Flor da Serra do Sul
  • Floraí
  • Florestópolis
  • Flórida
  • Formosa do Oeste
  • Foz do Iguaçu
  • Foz do Jordão
  • Francisco Alves
  • Francisco Beltrão
  • General Carneiro
  • Godoy Moreira
  • Goioerê
  • Goioxim
  • Grandes Rios
  • Guaíra
  • Guairaçá
  • Guamiranga
  • Guapirama
  • Guaporema
  • Guaraci
  • Guaraniaçu
  • Guarapuava
  • Guaraqueçaba
  • Guaratuba
  • Honório Serpa
  • Ibaiti
  • Ibiporã
  • Icaraíma
  • Iguaraçu
  • Imbaú
  • Imbituva
  • Inácio Martins
  • Inajá
  • Indianópolis
  • Ipiranga
  • Iporã
  • Irati
  • Iretama
  • Itaguajé
  • Itaipulândia
  • Itambaracá
  • Itambé
  • Itapejara D’Oeste
  • Itaperuçu
  • Ivaiporã
  • Ivatuba
  • Jaboti
  • Jacarezinho
  • Jaguariaíva
  • Jandaia do Sul
  • Janiópolis
  • Japira
  • Japurá
  • Jardim Alegre
  • Jataizinho
  • Jesuítas
  • Joaquim Távora
  • Jundiaí do Sul
  • Juranda
  • Jussara
  • Kaloré
  • Lapa
  • Laranjal
  • Laranjeiras do Sul
  • Leópolis
  • Lidianópolis
  • Lindoeste
  • Loanda
  • Lobato
  • Londrina
  • Luiziana
  • Lunardelli
  • Lupionópolis
  • Mallet
  • Mamborê
  • Mandaguari
  • Mandirituba
  • Manfrinópolis
  • Mangueirinha
  • Manoel Ribas
  • Maria Helena
  • Marialva
  • Marilândia do Sul
  • Marilena
  • Mariluz
  • Maringá
  • Mariópolis
  • Maripá
  • Marmeleiro
  • Marquinho
  • Matinhos
  • Mauá da Serra
  • Medianeira
  • Mercedes
  • Mirador
  • Miraselva
  • Moreira Sales
  • Morretes
  • Nossa Senhora das Graças
  • Nova Aurora
  • Nova Cantu
  • Nova Esperança
  • Nova Esperança do Sudoeste
  • Nova Laranjeiras
  • Nova Londrina
  • Nova Olímpia
  • Nova Prata do Iguaçu
  • Nova Santa Bárbara
  • Nova Tebas
  • Novo Itacolomi
  • Ortigueira
  • Ortigueira
  • Ouro Verde do Oeste
  • Pinhais
  • Palmas
  • Palmeira
  • Palmital
  • Paraíso do Norte
  • Paranacity
  • Paranapoema
  • Paranavaí
  • Pato Branco
  • Paula Freitas
  • Paulo Frontin
  • Peabiru
  • Pérola D’Oeste
  • Pérola
  • Pinhal de São Bento
  • Pinhalão
  • Pinhão
  • Pirai do Sul
  • Piraquara
  • Pitanga
  • Ponta Grossa
  • Pontal do Paraná
  • Porecatu
  • Porto Barreiro
  • Porto Vitória
  • Prado Ferreira
  • Pranchita
  • Presidente Castelo Branco
  • Primeiro de Maio
  • Prudentópolis
  • Quarto Centenário
  • Quatiguá
  • Quatro Barras
  • Quedas do Iguaçu
  • Querência do Norte
  • Quinta do Sol
  • Quitandinha
  • Ramilândia
  • Rancho Alegre
  • Realeza
  • Rebouças
  • Renascença
  • Reserva do Iguaçu
  • Ribeirão Claro
  • Ribeirão do Pinhal
  • Rio Azul
  • Rio Bonito do Iguaçu
  • Rio Branco do Ivaí
  • Rio Negro
  • Rolândia
  • Roncador
  • Rondon
  • Sabáudia
  • Salgado Filho
  • Salto do Itararé
  • Salto do Lontra
  • Santa Cecília do Pavão
  • Santa Cruz de Monte Castelo
  • Santa Fé
  • Santa Helena
  • Santa Izabel do Oeste
  • Santa Lúcia
  • Santa Maria do Oeste
  • Santa Mariana
  • Santa Mônica
  • Santa Tereza do Oeste
  • Santa Terezinha de Itaipu
  • Santana do Itararé
  • Santo Antonio do Caiuá
  • Santo Antonio do Paraíso
  • Santo Antônio da Platina
  • Santo Inácio
  • São Carlos do Ivaí
  • São Jerônimo da Serra
  • São João do Caiuá
  • São João do Ivaí
  • São João do Triunfo
  • São João
  • São Jorge D’Oeste
  • São Jorge do Patrocínio
  • São José da Boa Vista
  • São José das Palmeiras
  • São Manoel do Paraná
  • São Mateus do Sul
  • São Pedro do Iguaçu
  • São Pedro do Ivaí
  • São Sebastião da Amoreira
  • São Tomé
  • Sapopema
  • Sarandi
  • Saudade do Iguaçu
  • Sengés
  • Sertaneja
  • Serranópolis do Iguaçu
  • Siqueira Campos
  • Sulina
  • Tamarana
  • Tamboara
  • Tapejara
  • Tapira
  • Teixeira Soares
  • Telêmaco Borba
  • Terra Rica
  • Tibagi
  • Tijucas do Sul
  • Toledo
  • Tomazina
  • Três Barras do Paraná
  • Tunas do Paraná
  • Tuneiras do Oeste
  • Tupãssi
  • Turvo
  • Ubiratã
  • Umuarama
  • União da Vitória
  • Uniflor
  • Uraí
  • Ventania
  • Vera Cruz do Oeste
  • Virmond
  • Wenceslau Braz
  • Xambrê
Assembleia decreta calamidade pública em 331 municípios veja no mapa