Notícia

Gestão de tempo requer disciplina e paciência

29/08/2019 às 13h00 Por Vanderson Luiz
Com o celular como um companheiro quase inseparável, é comum, a qualquer momento, dar uma bisbilhotada nas redes sociais, verificar a mensagem que acabou de chegar a algum aplicativo ou por e-mail. Mas saiba que esses são alguns dos principais vilões das empresas e estão no topo da lista dos desperdiçadores de tempo.

Esses foram alguns pontos abordados no workshop sobre gestão de tempo ministrado por Andrey Orloski na manhã desta quinta-feira (29) no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) por iniciativa da Escola do Legislativo. Andrey é Coach Trainer pela Leaderart International do Canadá, Master Coach pela International Association of Coaching dos EUA, Mestre e Engenheiro pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, possui MBA em Neuroestratégia pela ESIC Internacional e é um especialista em gestão de tempo.

“Quando você está concentrado fazendo algo e de repente o celular vibra no bolso, você fica preocupado: quem será que me mandou mensagem, será que é a pessoa que eu gosto, será que é um problema? E aí você acaba desconcentrando e para que você volte ao mesmo nível de concentração você gasta em torno de sete minutos. É um gasto muito grande de tempo”, afirmou o palestrante.

Com as redes sociais não é diferente. Ele estima que, em média, as pessoas consomem uma parcela considerável do dia e do tempo de trabalho. “A gente entra na rede social só para dar uma olhadinha e aí você olha o que você gosta, vai passando e quando percebe já perdeu 30, 40 minutos”. E quando se trata de e-mail, até um terço do dia pode ser consumido verificando e respondendo mensagens. “A questão específica do e-mail, temos dados de avaliação dentro de empresas, que os gestores perdem 20% a 30% do dia com e-mails. E nas redes sociais, vai de cada um, alguns mais outros menos. Se você buscar medir isso dentro da empresa, vai ter uma noção do tempo que se perde”.

Como parte das atividades do workshop, Andrey aplicou uma dinâmica aos participantes, onde responderam perguntas específicas sobre situações relacionadas ao trabalho e ao dia a dia, para ranquear qual o nível de aproveitamento do tempo. O resultado, para muitos, foi surpreendente, o que vai requerer uma mudança de hábitos.

Criar um check list com os afazeres diários – e isso não inclui apenas trabalho – é a melhor dica. Uma lista de atividades representa um esforço para colocar ordem na sua vida, seja pessoal ou profissional. Ela permite definir prioridades, estabelecer uma agenda diária e mensal e aproveitar melhor o tempo.

“Eu diria que o primeiro passo é olhar para dentro, trabalhar o autoconhecimento para saber onde gasta mais energia. Às vezes são questões mais comportamentais do que de ter uma ferramenta ou não. Depois de entender o que está te atrapalhando, aí sim planejar e criar uma estratégia para melhorar. Além de criar uma gestão do tempo, como definir o que é urgente, importante no seu dia. Então, coloque tudo no papel. Encontrando a sua prioridade, fica mais fácil se concentrar nela, pois você vai saber que todo o resto pode ficar para depois”, aconselhou Andrey.

Plenarinho lotado e atento para aprender dicas sobre como melhorar a produtividade / Foto: Dalie Felberg/Alep

Plenarinho lotado e atento para aprender dicas sobre como melhorar a produtividade / Foto: Dalie Felberg/Alep

Mudança de hábito – Pode parecer uma coisa simples, mas muitas vezes nos pegamos reclamando que está faltando tempo para executar todas as tarefas do dia, mas o que falta na verdade é concentração e planejamento. Foi o que percebeu a pedagoga Marta Cecília, que começou a fazer sua auto avaliação após o curso. “O meu tempo não estou administrando muito bem. Fizemos o diagnóstico e ficaram dicas muito importantes para otimizar o tempo. Hoje em dia todo mundo reclama que não tem tempo e é possível melhorar. O curso foi extremamente enriquecedor e recomendo para todos”.

A servidora da Assembleia Ceni do Rocio Fiz chegou à mesma conclusão: “Vi que meu tempo não está bem administrado, preciso mudar. O curso foi muito bom nesse sentido, porque nos organiza pessoalmente e reflete diretamente no nosso trabalho, no tempo que passamos aqui dentro da Assembleia. E foi muito diferente também. Muitas vezes focamos tanto nos cursos em relação ao profissional e não no pessoal, mais próximo de cada um e por isso a Escola do Legislativo está de parabéns mais uma vez pela iniciativa”.

O empresário e acadêmico de Direito Ailson Martins ficou sabendo da iniciativa da Alep por colegas do curso e admitiu que “foi uma ótima dica”. Para ele, “é importante que a gente esteja sempre aprendendo um pouco mais de como administrar o tempo. Com as atividades de trabalho, família e faculdade, senão aprender como gerir esse tempo você fica maluco e não sabe o que fazer. Agora tenho um foco específico. Um dos pontos principais é de organização. Como são muitas atividades é preciso planejar melhor para ter um rendimento adequado”.

Aliás, a gestão de tempo é importante para sobrar espaço na agenda para questões pessoais, familiares e de lazer. “Tem pessoas que focam muito no trabalho e não deixam tempo para questão pessoal. Porque não aplicar isso para vida pessoal, para os filhos, ensinar para eles desde cedo. Ou para seu próprio lazer, dedicar tempo para família, para o divertimento pessoal. Isso é fundamental para o nosso bem-estar”, orientou Andrey.

Sobre o tempo que isso demora, o palestrante foi categórico: “Nós somos seres de hábito. Começar, dia após o outro e com o tempo, médio e longo prazo, vai te dar um grande retorno. Basta colocar em prática e persistir”.