Notícia

Viver a experiência do Parlamento Universitário é um grande aprendizado e ter histórias para contar

30/05/2023 10:27 21/09/2023 17:17 Por Jaime S. Martins

Ter a oportunidade de vivenciar as atividades de uma deputada ou um deputado estadual. Esse é o propósito do projeto Parlamento Universitário, desenvolvido pela Escola do Legislativo da Assembleia do Paraná.

O programa consiste na simulação das atividades parlamentares durante duas semanas, no mês de julho, quando os estudantes de diversas universidades participantes se dividem em bancadas partidárias, promovem a instalação de comissões temáticas, apresentam projetos e realizam a votação em plenário das propostas protocoladas. O Parlamento Universitário visa oferecer aos cidadãos, em especial aos graduandos, o conhecimento e a vivência das atividades políticas do Parlamento, aprimorar a relação entre Estado e sociedade civil e proporcionar experiências práticas dos processos político e legislativo, permitindo aos jovens uma melhor compreensão do que é o dia a dia do deputado estadual, que vai além do comparecimento às sessões e a votação de projetos de lei, envolvendo muita preparação, conhecimento e trabalho.

Experiência que os participantes levam para a vida acadêmica, profissional e pessoal. Muitos passaram da simulação para a prática, a candidatura a um cargo eletivo. Como é o caso da Camilla Gonda, que participou do Parlamento em 2018. Na época, ela já defendia a necessidade de esclarecer para a população as reais funções do legislativo. Em 2019, Camilla retornou ao Parlamento Universitário como voluntária e contou um pouco da experiência de ter participado do projeto. “Foi uma experiência incrível. A gente aprendeu bastante como é o processo, como é feito um projeto de lei, por onde ele passa, pela CCJ, comissões temáticas as votações em plenário. Isso é muito interessante, agrega bastante no nosso currículo e achei interessante participar”.

Passados cinco anos de sua participação no Parlamento Universitário, Camilla é hoje suplente de vereadora em Curitiba e contou um pouco sobre a experiência vivida no Parlamento e que fez com que ela decidisse ingressar oficialmente na política. “Sempre me interessei por política e tinha comigo a necessidade de entender mais sobre esse universo. Foi assim que conheci o Parlamento Universitário, me inscrevi ainda no primeiro ano de faculdade e fui selecionada para representar minha universidade. Dentro do Parlamento Universitário aprendi na prática o processo legislativo, conheci as comissões, entendi sobre o funcionamento de cada uma, tive a oportunidade de apresentar um projeto de lei e ver sua tramitação até a mesa do governador (para ser sancionado)”, lembrou. “Através do Parlamento Universitário também fiz amigos, travei contatos e confirmei que a política era o meu lugar. Depois que o Parlamento encerrou, eu me filiei a um partido político, no qual já ocupei diversos cargos, como presidente de juventude municipal e vice-presidente de juventude Estadual. Em 2020 me candidatei às eleições para o cargo de vereadora, ainda aos 19 anos. Obtive 1.664 votos, o que me deixou bem posicionada entre os candidatos do meu partido. Com certeza a minha candidatura foi uma decisão tomada através da minha passagem pelo Parlamento Universitário. Aprendi tanto naqueles dias que levo até hoje a experiência adquirida. Quando me perguntam sobre o Parlamento Universitário eu respondo: a experiência que todo cidadão precisa passar”, completou.

Outra ex-participante do Parlamento Universitário, no ano de 2017, e que disputou as eleições em 2018, para deputada federal, e em 2020 para vereadora de Curitiba, é a Amanda Leska, que atualmente é assessora da deputada Maria Victoria (PP), segunda secretária da Assembleia Legislativa. Após a participação no Parlamento, Amanda fez cursos de formação política e sempre defendeu uma maior participação da mulher na política e que a experiência foi o fator decisivo para o maior envolvimento na política e para a disputa eleitoral. “O Parlamento Universitário para mim foi um despertar. Um espaço que me deu muita visibilidade. Na época eu era da juventude de um partido político e, após a participação, eu fui a candidata mais jovem do país a concorrer a deputada federal. Graças a essa experiência que me motivou muito. Foi o parlamento que me mostrou para o partido, que abriu a minha mente com a possibilidade de ser candidata, de me preparar para algum cargo. Fiz cursos para crescer e aprender”, relatou.

Amanda lembra que o amplo estudo do Regimento Interno para o Parlamento Universitário foi útil, não só naquela época como agora, no dia a dia na Assembleia. “Para o Parlamento, tive uma noite de estudos, me preparando, estudando o Regimento Interno, o que me ajuda até hoje como funcionária da Casa. Foi um conhecimento, toda uma experiência que a gente não espera enquanto cidadão. No Parlamento a gente acaba conhecendo como é de fato o trabalho de um parlamentar, tudo o que envolve a atividade, que não é simplesmente protocolar e votar um projeto de lei. Tem toda uma equipe, estudo, tem a tramitação dos projetos, a questão da articulação política, uma das coisas que mais gostei”, lembrou. “Só tenho a agradecer toda a experiência. Conheci pessoas incríveis, servidores da Casa que hoje são meus colegas. Tudo fez parte de um crescimento, pessoal e profissional, e o Parlamento Universitário faz parte da minha história”.

Do parlamento ao casamento

Mas a experiência não ficou apenas no campo acadêmico e profissional. O advogado Wellington Gabriel Marques participou do Parlamento em 2019 e considerou o momento como um “divisor de águas”, isso porque além da experiência de ser um deputado universitário, Wellington encontrou no programa o amor da vida dele, apesar dos embates em plenário, visto que a esposa de Wellington, Beatriz, era uma deputada universitária da oposição.

“Participei do Parlamento Universitário na edição de 2019. Um projeto incrível em todos os sentidos, onde aprendi muito sobre o mecanismo político atual, tendo debates enriquecedores com colegas, participando de comissões parlamentares e buscando formas de melhorar a nossa sociedade como um todo. Não bastasse tudo isso, foi nesse projeto que conheci a minha esposa, Beatriz Demétrio Brelaz, que na ocasião era deputada da oposição”, lembrou. “Então, meu conselho para todos que têm a possibilidade de participarem desse projeto é: não percam essa oportunidade”, concluiu.

Inscrições

São dez as Instituições de Ensino Superior credenciadas para o Parlamento Universitário 2023. Se você é graduando na Universidade Federal do Paraná (UFPR), Pontifícia Universidade Católica (PUC-PR), Unibrasil, Uninter, UniCuritiba, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade Estadual de Londrina (UEL), Escola Paranaense de Direito ou na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), você pode se inscrever para participar do Parlamento Universitário.

As inscrições podem ser feitas até o dia 7 de junho no site: https://www.assembleia.pr.leg.br/escoladolegislativo/parlamento-universitario.

As atividades simuladas do Parlamento Universitário acontecerão entre os dias 17 e 28 de julho de 2023, na Assembleia Legislativa, em Curitiba.

 

Assembleia Legislativa do Estado do Paraná © 2019 | Desenvolvido pela Diretoria de Comunicação